• Mensurar Júnior

Sistemas de Aumento: SBAS, GBAS e ABAS


Fonte: Eurocontrol


SISTEMA DE AUMENTO BASEADO EM SOLO - GBAS


Traduzido do termo inglês Ground-Based Augmentation System, mais utilizado em aeroportos e mais precisamente em momentos de decolagem e pouso, serve para otimizar a precisão, continuidade e confiabilidade da navegação das aeronaves nas proximidades das pistas a uma cobertura média de um raio de 20 km a 30 km.

Este sistema visa reduzir incertezas e limitações dos desvios ocorridos em todo o translado do envio de sinais dos satélites aos receptores em terra, provendo maior eficiência. Também transmitido por torres e estações de comunicação ao redor das pistas e aeroporto. Normalmente com quatro estações de referência, contando com frequência L1, são transmitidas as correções de posição da aeronave.

Com toda essa estrutura, o fluxo de transmissão segue da forma seguinte: Estações RRS recebem os sinais satelitais, repassam às estações de cálculos e correções diferenciais (DGNSS), chamadas de PBS. Estas correções geram informações virtuais construídas pelo VDB e direcionadas às aeronaves mais próximas da chegada à região do aeroporto. Por fim, a gerencia de todo funcionamento das estruturas é fornecida pela IMS.

  • RRSRange Reference Station – Estação de Referência de Distância;

  • DGNSS Differential Global Navigation Satellite System – Sistema Global de Navegação por Satélite Diferencial;

  • PBS Processing Base Station – Estação-Base de Processamento;

  • VDB VHF Data Broadcasting – Estação VHF Difusora de Dados;

  • IMS Integrity Monitoring Station – Estação de Monitoramento de Integridade.

Fonte: Instituto Brasileiro de Aviação.


SISTEMA DE AUMENTO BASEADO EM SATÉLITE - SBAS


Também traduzido do inglês, SBAS traz consigo a definição de Satellite Based Augmentation System, que se aplica a melhor versão da transmissão de dados por satélites aos receptores da mesma. Este maior desempenho de performance é realizado dentro de zonas específicas, onde há investimento para tal tecnologia.

Contrário ao GBAS, o SBAS utiliza dupla frequência (L1 – L2) para sua atuação, e por isso é mais aplicado em outras áreas. Tais como agricultura de precisão, transportes em geral, levantamentos geodésicos e também, na aviação.

A estrutura é dada por uma rede de referência global de estações de observações geodésicas. Há uma análise dos dados obtidos de receptores multifrequência pelas Estações Master, o que gera informações e metadados às Estações Uplink, estas que têm a função de repassar tais dados aos satélites geoestacionários e nestes satélites, como padrão, há transponders, os quais executam a transferência de mensagem aos receptores finais, ou seja, de aeronaves em voo e nos demais objetos que atuam o SBAS.

Explicando melhor sobre essas áreas continentais específicas onde ocorre a aplicação do SBAS:

  • WAASWide Area Augmentation System – Sistema de Aumento de Área Ampla; – Coordenado pelos Estados Unidos.

  • EGNOSEuropean Geostationary Navigation Overlay Service – Sistema Europeu Complementar Geoestacionário; – Coordenado pela União Europeia.

  • SDCMSystem for Differential Corrections and Monitoring – Sistema para Correções Diferenciais e Monitoramento; – Coordenado pela Rússia.

  • GAGANGPS-Aided Geo-Augmented Navigation – Navegação Geo-Aumentada Auxiliada por GPS; – Coordenado pela Índia.

  • QZSSQuasi-Zenith Satellite System – Sistema de Satélite Quasi-Zenith; – Coordenado pelo Japão.

  • MSAS Multi-funcional Satellite Augmentation System – Sistema Multifuncional de Aumento de Satélites; – Coordenado pelo Japão.

  • SNAS Satellite Navigation Augmentation System – Sistema de Aumento da Navegação por Satélite; – Coordenado pela China.

  • SouthPAN Southern Positioning Augmentation Network – Rede de Aumento de Posicionamento do Sul; – Coordenado por Austrália e Nova Zelândia, para iniciar operacionalmente em 2023.

  • WAGE Wide Area GPS Enhancement – Melhoria de GPS de Área Ampla. – Coordenado pelos Estados Unidos, porém com acesso restrito aos militares.

Fonte: Departamento de Controle do Espaço Aéreo.


SISTEMA DE AUMENTO BASEADO EM AERONAVE - ABAS


Aircraft-Based Augmentation System, é a tradução da sigla ABAS. Esse tipo de sistema exerce a função adicional aos sensores de aeronaves a fim de otimizar todo o armazenamento, repasse, confiança e estabilidade dos dados transmitidos. Deste moto a navegação dos voos se torna mais confiável e melhor analisada pelos profissionais, tornando todo o translado mais seguro.

De forma mais popular, é aplicado o método de RAIM – Receiver Autonomous Integrity Monitoring – Monitoramento de Integridade Autônoma do Receptor, o qual avalia o nível de confiança dos dados recebidos por GNSS.

Outra forma de aplicação é por meio de AAIM – Autonomous Aircraft Integrity Monitoring – Monitoramento de Integridade Autônoma de Aeronave, que serve como substituto imediato com a mesma função do RAIM, quando o RAIM está indisponível. O modelo AAIM funciona de acordo com o INS – Inertial Navigation System – Sistema de Navegação Inercial, este que verifica a veracidade dos dados GNSS recebidos.


Redator: Hugo Barros

Revisão: Iago Mello - Setor de Projetos


Referências:

<https://pbnportal.eu/epbn/main/Overview-of-PBN/PBN-Concept---Unpacked/PBN-Infrastructure/Space-based/GNSS-Elements.html>

<https://www.ejecart.com/post/gbas-e-sbas>

<https://letslearnaviation.home.blog/2019/03/27/aircraft-based-augmentation-system-abas/>

<https://www2.anac.gov.br/anacpedia/por_esp/tr4170.htm>

<https://blog.cpetecnologia.com.br/precisao-sistema-gnssgps-e-sistema-sbas/>

<https://stringfixer.com/pt/Satellite_Based_Augmentation_System>

<https://adenilsongiovanini.com.br/blog/sbas-o-que-e-e-para-que-serve/>

<https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3138/tde-01062011-135146/publico/Dissertacao_Fabio_Luiz_Albarici.pdf>

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo