top of page
  • Mensurar Júnior

CIDADES INTELIGENTES

Segundo a União Européia, Cidades Inteligentes consiste em uma população interagindo e usando energia, materiais, serviços e financiamento para catalisar o desenvolvimento econômico e a melhoria da qualidade de vida.

Assim, as cidades inteligentes são espaços urbanos modernos que têm como principal característica a utilização de tecnologia na administração de seus recursos e de sua infraestrutura. Dessa forma, avanços tecnológicos e inovação são utilizadas de forma conjunta e agregada aos serviços públicos urbanos tradicionais para que se possa ter uma cidade preocupada com o bem-estar de seus cidadãos.

Trata-se de um projeto urbano fundamentado na utilização de tecnologia da informação e comunicação para atingir melhores resultados nas seguintes extensões: governança, pessoas, economia, meio ambiente e mobilidade.

Figura 1 - Cidades Inteligentes

Fonte: Certi Insights,2022


1.O QUE TORNA UMA CIDADE INTELIGENTE?


O que torna uma cidade inteligente é a forma como uma cidade consegue aderir avanços tecnológicos com o desenvolvimento social e ambiental.

As Cidades Inteligentes contribuem para o desenvolvimento sustentável, voltada para uma infraestrutura ecológica, resultando em cidades mais atrativas, competitivas, inovadoras, resilientes, melhorando a qualidade de vida de seus cidadãos.

De forma geral, os fatores essenciais que contribuem para o desenvolvimento das cidades inteligentes são eles:

●Realização de ações focadas no aumento da qualidade de vida da população;

●Envolvimento da sociedade, empresas, ONGs e universidades.

●Aprimoração da utilização de recursos.

●Construção com base em planejamento


2.COMO CRIAR UMA CIDADE INTELIGENTE.

Podemos dizer que existe duas formas de criar uma cidade inteligente:

● A primeira é investir em cidades planejadas e incluir no seu planejamento tecnologias e ações sustentáveis;

● A segunda é reavaliar as cidades já existentes e apontar melhorias que podem ser realizadas de acordo com as necessidades dos habitantes do local.


3.IMPACTOS GERADOS PELAS CIDADES INTELIGENTES.


De acordo com o Relatório da Mckinsey Global Institute, a aplicação de medidas tecnológicas inteligentes poderia melhorar indicadores de diversas áreas. Como a redução do tempo de viagem, redução de despesas e aumento do emprego formal entre outras.

Como apresenta a figura abaixo:

Figura 2 - Adaptado de Mckinsey Global Institute

Fonte: Quanta,2021.

4.SUSTENTABILIDADE E CONSUMO CONSCIENTE.

Grande parte da sociedade atual tem um modo de vida imprudente com relação ao uso dos recursos naturais, acarretando impactos ambientais e fazendo com que futuramente os insumos sejam extintos.

Assim, as ações sustentáveis são aquelas que garantem a conservação dos recursos naturais a fim de preservar o meio ambiente, mas também objetivam a melhoria da qualidade de vida das populações. A prática da conservação ambiental depende da sociedade, empresas e representantes dos Estados. Ainda sim, elas podem ser realizadas individualmente ou em grupo, englobando desde pequenos gestos até ações grandiosas.

Exemplos de ações sustentáveis:


● Descarte adequado do lixo e dos rejeitos tanto domésticos quanto industriais;

● Economizar água;

● Economizar energia elétrica;

● Priorizar o transporte público;

● Utilizar produtos biodegradáveis;

● Preservar o meio ambiente.


5.MEIO AMBIENTE E INOVAÇÃO.


Os centros urbanos são responsáveis por diversos problemas ambientais, como desmatamentos, poluição atmosférica e descartes irregulares. Isso se dá devido ao crescimento desordenado das cidades, pelo uso excessivo de recursos naturais e pela falta de serviços básicos como saneamento e água tratada, esses fatos evidenciam que as cidades muitas vezes são prejudiciais ao nosso planeta.

De acordo com Bright Cities (2020), as Cidades Inteligentes são ótimos exemplos em superar essas adversidades de forma sustentável. O conceito de que a qualidade de vida de seus moradores anda junto com a sustentabilidade é muito bem implementada pelas Cidades Inteligentes, pois apostam sempre em tecnologias ou iniciativas capazes de preservar seus ecossistemas e recursos naturais.

A seguir estão tópicos muito importantes para estudarmos as Cidades Inteligentes.


6.COLETA E MONITORAMENTO DE DADOS.


A coleta e o monitoramento de dados é um ótimo artifício para os gestores, afinal é preciso conhecer os pontos fortes e fracos de sua cidade. Portanto, as Cidades Inteligentes possuem políticas que se baseiam em informações seguras e constantemente atualizadas a fim identificar problemas ambientais ou áreas de risco/vulnerabilidade, e ainda adotar estratégias para solucionar os problemas encontrados e responder de forma rápida aos desafios.

A coleta de dados em tempo real é extremamente eficaz a curto e a longo prazo, pois esses dados podem ser analisados ao longo do tempo, o que possibilita evitar acidentes além de acompanhar a taxa de satisfação dessas políticas na comunidade. Um exemplo retirado do blog de referência baseia-se na captura de dados em tempo real utilizando sensores na tubulação com o objetivo de monitorar a poluição presente na água. Essa tecnologia possibilita ainda avisar os moradores sobre a qualidade de sua água.

Nas Cidades Inteligentes, satélites, sistemas de vigilância e drones têm a importante missão de indicar em tempo real focos de incêndio e desmatamentos ilegais.

Dados podem ser coletados também utilizando Informações Geográficas Voluntárias nas áreas de segurança pública, saneamento e infraestrutura. Esse método pode se tornar viável com o investimento da Gestão Pública em aplicativos que possuem essa função.


7.APOSTA NA INOVAÇÃO


Além de sustentabilidade, inovação também é uma palavra chave quando o assunto é Cidades Inteligentes, afinal esse conceito é empregado em absolutamente tudo nessas cidades. As inovações, nesse contexto, possuem o papel de solucionar problemas com alta facilidade, melhorar a vida dos cidadãos e claro preservar o meio ambiente.

París(França) pode ser usada como exemplo, pois cerca de trinta por cento do trânsito no centro da cidade é causado por carros procurando um lugar para estacionar e para resolver esse problema foi implementado um sistema de estacionamento inteligente.Com a ajuda de sensores e softwares, o aplicativo de celular indica com antecedência ao usuário sobre a disponibilidade de vaga, que pode então reservar e pagar por ela de modo online.Esse aplicativo além de melhorar consideravelmente o trânsito parisiense consequentemente foi capaz de diminuir a emissão de gases poluentes.


8.ENGAJAMENTO CIDADÃO

O engajamento da população deve ser conquistado e um ótimo artifício para consegui-lo é uma Gestão Pública transparente que preste contas com a população evidenciando como e onde os recursos públicos estão sendo utilizados.

Canais de comunicação que ligam a população e os governantes sempre são eficazes, pois as necessidades dos cidadãos sempre são repassadas.

Um método eficaz para isso é a democratização do acesso à internet. Nova York possui um sistema de Wi-Fi público que qualquer cidadão pode usar, tal recurso é oriundo de acordos e investimentos públicos em empresas especializadas.


Figura 3 - Anúncio do Wi-Fi gratuito em Nova York (2016).

Fonte:Folha de São Paulo.

9.O PAPEL DO ENGENHEIRO AGRIMENSOR NO DESENVOLVIMENTO DAS CIDADES INTELIGENTES.

O papel do engenheiro agrimensor nas cidades inteligentes é fundamental para a implementação de tecnologias e soluções que visam melhorar a qualidade de vida dos habitantes e otimizar o uso dos recursos naturais e urbanos.

Entre as principais responsabilidades do engenheiro agrimensor estão:

● Planejamento urbano: O engenheiro agrimensor é responsável por planejar e implementar projetos urbanos que incluem a construção de novas estruturas, estradas, parques, edifícios, entre outras. Ele utiliza ferramentas de geoprocessamento e cartografia para analisar a topografia do terreno e identificar os melhores locais para a construção.

Georreferenciamento: O engenheiro agrimensor é responsável por realizar o georreferenciamento de ruas, prédios e outros elementos urbanos para criar mapas

● Digitais precisos e atualizados da cidade. Esses mapas são usados ​​para ajudar no planejamento e execução de projetos urbanos e na gestão do território.

● Monitoramento ambiental: O engenheiro agrimensor pode trabalhar em conjunto com especialistas em meio ambiente para monitorar e avaliar a qualidade do ar, da água e do solo nas cidades. Ele também pode ajudar a identificar áreas de risco, como encostas, que precisam de medidas de proteção.

● Desenvolvimento de tecnologias: O engenheiro agrimensor pode participar do desenvolvimento de tecnologias que possam ajudar a melhorar a gestão urbana, como sistemas de informação geográfica (SIG), sensores remotos, tecnologias de comunicação, entre outras.

Em resumo, o engenheiro agrimensor tem um papel fundamental na criação de cidades inteligentes, pois é responsável por criar soluções que permitem uma gestão mais eficiente e sustentável dos recursos urbanos.


10.CONCLUSÃO

A construção de uma Cidade Inteligente só é possível com a cooperação da Gestão Pública juntamente com a população, pois as inovações serão incentivadas pelos governantes e assim estudadas e aplicadas pela sociedade. Nesse contexto, nota-se que o cidadão também desempenha papel importante e pode ajudar a produzir informações, assim como participar de discussões, podendo apresentar soluções criativas para problemas da cidade.

É importante o conceito de inovação não atrapalhar os meios já existentes que ajudam o meio ambiente, visto que o termo inteligente é facilmente associado à tecnologia. O bem estar da sociedade deve ser prioridade e as demandas sociais devem estar acima de qualquer interesse do setor privado.

Portanto, as Cidade Inteligentes são muito importantes para o desenvolvimento sustentável da sociedade. Os inúmeros benefícios para o meio ambiente e para a população dessas cidades evidenciam o fato de que a evolução gradativa das demais cidades para esse modelo é mais que necessário, é fundamental.



Redatores: Paulo Victor Sena, Vanessa Terra e Edilene Browne.

Revisão: Setor de Projetos


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

FGV PROJETOS. O que é uma cidade inteligente? 2015. Disponível em: https://fgvprojetos.fgv.br/noticias/o-que-e-uma-cidade-inteligente


DEPINÉ, Ágatha. O que são cidades inteligentes? 2018. Disponível em: https://via.ufsc.br/o-que-sao-cidades-inteligentes/


AMARAL, Lívia. Cidades Inteligentes: Conheça este Conceito. 2021. Disponível em: https://quantageracao.com.br/cidades-inteligentes-conheca-esse-conceito/


BRIGHT CITIES. Bright Cities. Entenda como a Cidade Inteligente preserva o meio ambiente. 2020. Disponível em: https://blog.brightcities.city/pt-br/entenda-em-cinco-passos-como-a-cidade-inteligente-preserva-o-meio-ambiente/ .



PORTAL DA INDÚSTRIA. Desenvolvimento Sustentável. 2021. Disponível em:


42 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page