• Mensurar Júnior

Mapeamento Colaborativo

No começo do século XXI, os avanços tecnológicos da área de comunicação trouxeram diversos benefícios, dispositivos moveis e computadores passaram a ser utilizados em larga escala, acompanhados de uma rede de comunicação mundial, que é a internet, com isso, esses instrumentos passaram a ter mais acesso aos mapas. Essa evolução tecnológica consiste nos avanços da plataforma Web, permitindo que os próprios usuários criem o seu próprio conteúdo, como é visto em Facebook, Wikipedia, e entres outros, indo neste caminho percebeu que os usuários poderiam divulgar suas posições, ou de um restaurante, a localização de sua casa, ou seja, qualquer dado espacial.


O fruto dessas combinações foi o mapeamento Colaborativo, que pode ser entendido como um âmbito do uso de mapas que possibilitou aos usuários desta ferramenta, a produção de geoinformação mesmo sem uma educação formal de cartografia , com isso, o mapeamento colaborativo traz consigo um empoderamento de uma parte da sociedade que não participava do processo de criação de informações geográficas.


Vale a pena ressaltar que existem termos que se confundem com mapeamento colaborativo que são Informação Geográfica Voluntária (VGI) e crowdsourcing, VGI pode ser entendida como informações geográficas coletadas e compartilhadas voluntariamente pelo publico geral, no qual é abrangida pela plataforma de mapeamento colaborativo enquanto o termo crowdsourcing retrata um método para se cumprir uma tarefa, como por exemplo, solucionar um problema utilizando uma chamada de colaboração aberta.


Atualmente existem algumas plataformas de mapeamento colaborativo como, openstreetmap e wikimapia, ambas tem o mesmo funcionamento, o usuário irar um conta na plataforma e posteriormente irar adicionar algumas primitivas gráficas (ponto, linha ou polígono) ao mapa existente, com isso, pode adicionar um ponto para ser o restaurante, ou descrever a rua por meio de uma linha. O mapeamento colaborativo se tornou uma ferramenta importante tanto para o empoderamento do público geral quanto para agencias oficiais de mapeamento , pois estas utilizam as informações geográficas voluntariadas como complementos ás suas bases cartográficas.


Redator: Rodolfo Gama

Revisão: Setor de Projetos


Referências

BRAVO, João Vitor Meza; SLUTER, Claudia Robbi. O Mapeamento Colaborativo: seu surgimento, suas características e o funcionamento das plataformas (Collaborative Mapping: its emergence, characteristics and how does it work). Revista Brasileira de Geografia Física, v. 11, n. 5, p. 1902-1916, 2018.

DA SILVA LIMA, Renato et al. Mapeamento colaborativo: uma alternativa para a obtenção de mapas digitais para aplicações em transportes. Engevista, 2010.


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Fusos UTM