top of page
  • Mensurar Júnior

Aumento da extensão do território nacional

Também houve alterações em Mato Grosso (6), Maranhão (3), Rio Grande do Norte (3), além de Tocantins (2) e Goiás (2).o sua área total aproximadamente 73 km2. Em termos práticos tal, valor é insiginifcante se comparado com a grandeza do território nacional, porém, essa informação causou interesse e curiosidade sobre o tema. Afinal, como e por que isso é importante para a sociedade de modo geral e consequentemente, os impactos nos mais diversos setores da sociedade.

Antigamente, sem o aparato de recursos tecnológicos, como o Sistema Global de Navegação por Satélite (GNSS) ligado a Geodésia*, e produtos oriundos da Fotogrametria** e Sensoriamento Remoto, era extremamente difícil a realização do mapeamento de áreas, tarefa essa que majoritariamente era executada por militares, aplicando-se cálculos e conceitos astronômicos. O Brasil por exemplo, país com extensão continental é um claro exemplo deste árduo trabalho.


Divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2021 a área total adotada como oficial até então era de 8.510.345,540 km², passando para 8.510.417,771 km² em 2022, (aumento de 0,000849%), afetando diretamente 174 municípios, da seguinte:


·O estado com maior número de mudanças nos limites municipais foi o Rio Grande do Sul (61 municípios), seguido por Pernambuco (50) e Paraná (47).


Também houve alterações em Mato Grosso (6), Maranhão (3), Rio Grande do Norte (3), além de Tocantins (2) e Goiás (2).



De acordo com o IBGE:

“O ajuste nos cálculos é feito a partir de imagens de satélite atualizadas, a área de Geociências aprimorou o cálculo do delineamento da cobertura do território brasileiro e descobriu que a extensão do país é maior do que se imaginava antes.”

Sendo esses cálculos realizados com base nos dados fornecidos pelas Comissões Demarcadoras de Limite do Ministério das Relações Exteriores e na melhoria de insumos cartográficos (imagens de satélite).


Com o avanço da tecnologia, esse processo se tornou mais preciso e detalhado. Isso significa que as fronteiras e áreas territoriais podem ser medidas com maior precisão, o que pode levar a pequenas mudanças no tamanho do território em relação aos mapas anteriores. De modo geral, esse trabalho é de suma importância para o reconhecimento e delimitação mais fiel do território nacional

No entanto, é importante ressaltar que essas mudanças são muito pequenas e não têm impacto significativo na extensão territorial do país. O Brasil continua sendo o quinto maior país do mundo em extensão territorial, com mais de 8,5 milhões de milhas quadradas.

Embora o aumento do território brasileiro no mapa-múndi possa ser motivo de orgulho para alguns brasileiros, é importante lembrar que essas mudanças são apenas questões técnicas de mapeamento e não alteram a realidade física do país. Além disso, é fundamental utilizar fontes e oficiais para obter informações precisas sobre questões geográficas e territoriais.


Afinal, como isso é feito?

O mapeamento de dados via receptores GNSS é um processo que utiliza sinais de satélite para determinar a posição geográfica de um receptor GNSS em relação a uma rede de pontos de referência conhecidos. O processo de mapeamento de dados via receptores GNSS envolve os seguintes passos:


·Coleta de dados: O receptor GNSS coleta sinais de satélite e registra informações sobre a posição, hora, data e outros dados relevantes.


·Pós-processamento: Depois de coletar os dados, eles podem ser processados em um software especializado para melhorar a precisão da localização do receptor. O pós-processamento envolve a análise dos dados para eliminar erros sistemáticos e ajustar as medições para melhorar a precisão.


·Criação de um mapa: Uma vez que os dados tenham sido processados, eles podem ser utilizados para criar um mapa. Os dados podem ser visualizados em um software de mapeamento para criar um mapa em 2D ou 3D. O mapa pode incluir informações sobre a topografia, características do solo, elevações e outras informações relevantes.


·Análise dos dados: O mapa criado a partir dos dados coletados pode ser utilizado para análise posterior, como identificar áreas de risco para deslizamentos de terra, planejamento de rotas de transporte, avaliação de áreas agrícolas, entre outras aplicações.


O mapeamento de dados via receptores GNSS é amplamente utilizado em diversas áreas, como a agricultura de precisão, cartografia, topografia, geologia, engenharia civil, planejamento urbano, entre outras. A precisão dos dados depende de diversos fatores, como a qualidade do receptor GNSS, o número de satélites disponíveis e a interferência de sinais de rádio de outras fontes.



Redator: Francisco da Silva Tiburcio

Revisão: Setor de Projetos


Referências:

*Conheça mais sobre a Geodésia e suas aplicações: https://www.mensurarjunior.com/post/geod%C3%A9sia-na-pr%C3%A1tica-a-geod%C3%A9sia-e-suas-aplica%C3%A7%C3%B5es

*Conheça mais sobre a Fotogrametria e suas aplicações: https://www.mensurarjunior.com/post/fotogrametria

https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/36532-ibge-atualiza-dados-geograficos-de-estados-e-municipios-brasileiros

https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2023/04/01/aumento-de-territorio-no-mapa-do-brasil-e-fruto-da-precisao-da-tecnologia-explica-professor.ghtml

https://geoftp.ibge.gov.br/metodos_e_outros_documentos_de_referencia/normas/recom_gps_internet.pdf

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page