• Mensurar Júnior

Geotecnologias aplicadas na logística e transporte de cargas no Brasil

Atualmente, no Brasil, o transporte rodoviário de carga é um dos principais meios de distribuição de bens de consumo. Em 2019, cerca de 61% da movimentação de cargas foi feita por rodovias, segundo dados levantados por Especialistas do Instituto de Logística e Supply Chain. Esse dado destaca o desequilíbrio no uso de outras modalidades de transporte, como o aéreo, ferroviário, aquaviário etc.


O mapa “Logística dos Transportes no Brasil”, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela o contexto logístico do país. Dados como a predominância do transporte rodoviário e pouca exploração das ferrovias e hidrovias podem ser encontrados no estudo.

A problemática do transporte de mercadorias no atual cenário brasileiro tem gerado perdas ocasionadas pelos furtos e má qualidade das estradas, gerando impactos econômicos às empresas brasileiras transportadoras de cargas rodoviárias. Por este motivo, o investimento em tecnologias tem sido de extrema importância para as empresas que almejam uma vantagem competitiva no setor logístico. É um fato que as operações logísticas de transporte dependem do uso de mapas para realização do planejamento. Além de possibilitar a substituição dos tradicionais mapas em papel, o geoprocessamento permite que as tarefas de organização e controle operacionais sejam automatizadas com o uso de tecnologias como os SIG e GPS. A implantação do sistema de posicionamento global – GPS, que direciona a navegação através das coordenadas geográficas e também visa fornecer informações acerca da situação das manutenções das estradas, condições das vias e melhor rota a ser seguida. Com isso, é possível tomar a melhor decisão do caminho a ser percorrido e gerenciar o sistema de transporte das empresas. O SIG (Sistema de Informações Geográficas) fornece dados georreferenciados contribuindo com análises de logística, o que faz destes recursos aliados em potencial no gerenciamento, monitoramento e roteirização dos transportes de cargas. Destaca-se que estes instrumentos permitem a visualização em tempo real da localização dos veículos, o que resulta em tomadas de decisões mais certeiras, redução do risco de furto da carga e do veículo, aumentando a segurança e a competitividade das empresas.


Utilização dos Sistemas de Informações Geográficas


Pode-se dizer que o SIG, devido ao caráter espacial dos dados, é uma das melhores ferramentas para o armazenamento de informações que contribuem com a logística dos transportes. Alguns exemplos de como as informações georreferenciadas podem auxiliar a logística de transporte são: - Rotas; - Áreas convenientes para venda de produtos; - Locais para armazenamento e produção; - Vias favoráveis para o transporte. Além disso, os softwares de SIG, com os recursos de edição geográfica, interface com GPS, e geocodificação facilitam a entrada e manutenção da base de dados. Outra vantagem é permitir a utilização dos mesmos dados para fins logísticos, marketing, planejamento de vendas e informações gerenciais. O uso de geotecnologias influencia positivamente por propiciar às empresas eficácia no planejamento e desenvolvimento de estratégias, com isso, as diversas técnicas de geoprocessamento vêm se apresentando como instrumentos importantes aos setores logísticos do país e vêm ganhando relevância, tornando-se aliadas das empresas.


Redatora: Maria Eduarda Diele

Revisão: Setor de Projetos


Fonte: https://recital.almenara.ifnmg.edu.br/index.php/recital/article/view/202/101 https://mundogeo.com/1999/12/02/a-tecnologia-da-geoinformacao-na-operacao-logistica/ https://www.bloglogistica.com.br/mercado/mapa-do-ibge-analisa-logistica-brasileira/

1.078 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo