• Mensurar Júnior

Como melhorar a produtividade de uma agricultura?


Já pensou em poder monitorar toda sua lavoura sabendo o momento de aplicar defensivos agrícolas, podendo saber os locais onde as pragas estão se multiplicando, fazendo irrigação e tudo que for possível para assegurar as condições ideais ao seu cultivo? Então, a melhor forma de ser feito esse monitoramento é através da Agricultura de Precisão, onde são usadas as técnicas mais avançadas de posicionamento para que sejam coletados dados precisos e assim ser implementada uma automação eficiente na sua plantação.


Mas de onde surgiu esse tipo de Agricultura? A AP, como é chamada a Agricultura de Precisão, surgiu por volta de 1920, quando acadêmicos trabalhavam com a técnicas de variabilidade espacial dos atributos do solo. Aqui no Brasil começou a ser aplicada só na década de 90, porém os avanços nessa área vieram apenas a partir de maio de 2000, quando a aplicação do GPS eliminou um erro proposital no sinal, diminuindo as incertezas no posicionamento de 45 metros para 6,3 metros, segundo a CNA Brasil.


Agricultura de precisão nada mais é do que um sistema de gerenciamento de colheita, e como falamos anteriormente seu objetivo é fornecer as condições ideais para a agricultura. E busca fazer isso com ferramentas para acompanhar o processo de maneira precisa, coletando e analisando as informações através de tecnologias que facilitam a tomada de decisão pelos produtores e trabalhadores rurais, proporcionando maior controle sobre todo o processo produtivo e contribuindo para uma produção eficiente, lucrativa e sustentável.


Segundo a CNA Brasil, a AP começou com as tecnologias das máquinas equipadas com de receptores GPS e com a geração de mapas de produtividade, avançou e hoje vai além dos equipamentos e das culturas de milho e soja, podendo ser usada em todas as cadeias produtivas do setor agropecuário.


Hoje são usadas ferramentas como o próprio GPS, GIS, que são softwares que fazem a leitura e manuseio de dados geográficos, como o QGIS que é gratuito e que por sinal temos um artigo falando sobre, no nosso blog. Também são usadas Técnicas de Taxas Variáveis, onde o produtor pode analisar os Mapas de Produtividade e regular a aplicação de adubo, nesse contexto o que auxilia na AP é o Piloto Automático utilizado para redução de erros na operação da máquina (trator/pulverizador), uma vez, que há uma maior uniformidade da atividade devido a velocidade constante da máquina. Sensores Remotos onde podem ser coletados dados com o uso de aviões ou drones, dependendo do tamanho da lavoura, onde também é possível saber um pouco mais sobre no nosso blog através de artigos relacionados a fotogrametria. Por fim, outro exemplo de ferramental seriam os Sensores do Solo onde o gestor da agricultura tem a possibilidade de coletar e analisar dados como PH, composição do solo, nitrogênio, entre outras informações do solo que o auxiliarão.


Esse conjunto de ferramentas chamada Agricultura de Precisão pode ter várias vantagens em relação a agricultura convencional e quanto mais fatores forem monitorados, maior será a assertividade da produtividade, além de gerar economia no sistema produtivo e poder dar mais segurança na tomada de decisão. Claro, isso tem um custo, mas se tratando de produtividade é considerado um investimento, pois a perda de um plantio pode significar um prejuízo enorme para o produtor, então vale pesquisar a fundo o assunto e se você tem uma fazenda e ainda não faz uso desses tipos de técnicas é hora de se atualizar, pois o mercado vem avançando junto às tecnologias novas numa velocidade exponencial.



Redator: Bruno Davel – Assessor de Vice-Presidência

Revisão: Setor de Projetos


Referências Bibliográficas:

https://www.cnabrasil.org.br/projetos-e-programas/agricultura-de-precis%C3%A3o

https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/cana-de-acucar/arvore/CONTAG01_72_711200516719.html

https://agropos.com.br/o-que-e-agricultura-de-precisao/



33 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo