• Mensurar Júnior

O uso da fotointerpretação para análise de uso e cobertura do solo em áreas urbanas

O espaço urbano é marcado por características conflituosas tanto em âmbito social, econômico e ambiental devido à grande concentração de atividades e pessoas. Frente a isso, a elaboração de políticas públicas que visem amenizar os conflitos regionais é essencial para o crescimento da cidade ou município de forma a proporcionar uma melhor qualidade de vida a seus habitantes, buscando tanto melhorias ambientais quanto socioeconômicas. Para tal, a utilização de aerofotos para a geração dos subsídios necessários aos planos de ação se mostra uma ferramenta ágil, precisa, dinâmica e com ótimo custo-benefício.


Mas o que é fotointerpretação?

Se trata do estudo de imagens de satélite ou fotografias aéreas com o intuito de identificar os objetos e feições nela presentes; ou seja, se trata da interpretação de imagens e se relaciona com o aspecto qualitativo do objeto, assim se diferenciando da fotogrametria que avalia aspectos quantitativos como geometria e posição. Ela é muito utilizada como base para a elaboração de mapas temáticos como de vegetação, ocupação do solo, geomorfologia e outros, auxiliando nos trabalhos urbanos de monitoramento do uso e ocupação do território, prevenção de desastres naturais, obras de infraestrutura, entre outros.



E como a Fotointerpretação pode ser aplicada para o Planejamento Urbano?


O Estatuto da Cidade, também conhecido como a lei N° 10.257 de julho de 2001, regula o uso das propriedades urbanas para que haja um equilíbrio tanto social como econômico e ambiental. Complementar a tal informação, o estudo do uso e ocupação do solo fornece uma base adequada para o levante de padrões de ocupação das áreas, proporcionando produtos que visam analisar se as diretrizes estipuladas pelo Estatuto da Cidade estão sendo cumpridas e gerando boa fundamentação para a elaboração de planos regionais, estaduais e nacionais para a ordenação e desenvolvimento econômico e social da terra, podendo ser citados o Plano Diretor, a Lei Orgânica, o Código de Obras e outros.

Segmento de imagens aéreas coletadas com Drone DJI Phantom 4 Advanced.

Como facilitador, tem se utilizado muito a fotointerpretação para o estudo do uso e ocupação dos espaços urbanos, visto que a metodologia empregada na fotointerpretação é mais ágil e apresenta melhor custo-benefício para vastas áreas. Por meio dela, profissionais habilitados realizam a coleta de imagens aéreas ou a manipulação de imagens de satélite e aplicam em um ambiente de SIG (Sistemas de Informação Geográfica) de forma a quantificar, qualificar e espacializar as feições presentes na área de interesse. As informações obtidas são cruzadas com outros dados, como avaliação socioeconômica, distribuição de redes de esgoto, atividades econômicas do local, disponibilidade de energia elétrica e outros, obtidos por etapas de levantamento em campo ou fornecidos pela prefeitura local ou demais órgãos.

Por fim, são gerados mapas temáticos para melhor visualização dos dados e gerando uma boa fundação para planejamentos como inserção de redes de esgoto, sistemas de escoamento para áreas com maiores índices de impermeabilização, projetos de coleta de lixo, posicionamento de rotas ideais, abastecimento de água, levante de áreas de risco, base para cadastros multifinalitários, delimitação de áreas propícias ao plantio, planejamento de expansão do sítio urbano e demandas para inserção de áreas verdes, todos objetivando uma gestão urbana estratégica.





REDATORA: Amanda Meirelles

Revisão: Setor de Projetos


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

TEMBA, Plínio. Fundamentos da fotogrametria, UFMG/MG, 2000.

DO CARMO, Lúcio Flávio Zancanela. Agricultura urbana na cidade de Rio Branco, Acre: Caracterização, espacialização e subsídios ao planejamento urbano, Dissertação (Mestrado em Solos e Nutrição de Plantas), UFV: Viçosa, 2006.

DO CARMO, Lúcio Flávio Zancanela e SCHAFER, Carlos Ernesto Gonçalves Reynaud. Mapeamento, por fotointerpretação, do uso e cobertura do solo urbano em Rio Branco(AC): Subsídios ao planejamento urbano, Revista de C. Humanas, Vol. 9, Nº 1, p. 85-95,Jan./Jun. 2009.

GOMES, Jaqueline Balbina Ferreira; ARAÚJO, Helio Lopes; FARIAS, Luana da Silva;NEVES, Patrícia Magalhães; GIONGO, Pedro Rogério. Uso da fotointerpretação para identificação de elementos na área de Tupaciguara - MG, 8ª JORNADA ACADÊMICA,24 a 29 de Novembro de 2014, Campus Universitário de Santa Helena de Goiás: Goiás.

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo